Confira a nova entrevista cedida por Ian para o site Variety.com.

“Eu nunca estive mais ocupado em toda a minha vida”, diz Ian Somerhalder. Apesar de sua série de sucesso “The Vampire Diaries” estar terminando depois de oito temporadas, ele tem planejado seu futuro como produtor, com um novo acordo com a Warner Bros. TV juntamente com sua esposa, Nikki Reed. E também tem seu projeto de paixão: seu compromisso às causas ambientais, com seus fundamentos epónimos.

Você acabou de anunciar um acordo com a Warner Bros. TV. Que tipo de shows você quer fazer?

Todos os tipos de shows – com roteiro, sem script, drama, comédia, docuseries, digital, tudo isso. A realidade disso é de contar boas histórias. Realmente boas histórias. É realmente tudo o que queremos fazer. Felizmente eu tenho sido capaz de trabalhar com alguns dos talentos mais incríveis neste negócio. É inacreditável o que eu aprendi. Eu aprendi como fazer coisas de baixo para cima. Eu saí disso (TVD) não só com uma nova esposa, e esta vida, e esta família, e oito anos sob o meu “cinto”, mas eu também tenho amizades que criei ao longo da vida e uma vasta quantidade de conhecimento que eu posso agora ter em minha vida e em minha carreira. E isso é inestimável. Isso muda seu mundo inteiro. Estou animado para aplicar as coisas que eu aprendi e usar como ciência aplicada. É emocionante quando você entra em uma sala ou anda em um set e experimenta um problema que você já possui as ferramentas para achar a solução eficaz e economicamente.

Você é incrivelmente ativo nas mídias sociais. Que vantagens você vê para nisso?

Eu tenho uma apreciação muito profunda e distinta pelas redes sociais. Eu também tenho uma profunda e intensa preocupação com a mídia social. É uma maneira incrível de transferir informações, criar envolvimento e uma mudança social. Ela tem a capacidade de mudar o mundo. Olhe para o Egito e o Oriente Médio. Mas, em seguida, há um outro lado também. Acho que as redes sociais nos mantêm em constante estado de necessidade, o que eu acho muito perigoso. Porque isso gera infelicidade. Já está na hora de aproveitar as mídias sociais e ensinar aos nossos jovens que ela não tem tanto peso quanto pensamos. O que Nikki e eu esperamos fazer com o estúdio é realmente construir grandes histórias, grande conteúdo, mas sem intoxicar a cabeça das pessoas. Encontrar maneiras excelentes de exibir mensagens socialmente relevantes e impactantes dentro desse tipo de narração. É hora de começar a combater o que está acontecendo com a mídia em massa. E começar a permitir que as pessoas se sintam um pouco melhor sobre si mesmas. Estou realmente focado em criar esta próxima geração para ser a mais inovadora, compassiva e mais grata que esse mundo já viu.

Você é incrivelmente ativo nas mídias sociais. Que vantagens você vê para nisso?

Eu tenho uma apreciação muito profunda e distinta pelas redes sociais. Eu também tenho uma profunda e intensa preocupação com a mídia social. É uma maneira incrível de transferir informações, criar envolvimento e uma mudança social. Ela tem a capacidade de mudar o mundo. Olhe para o Egito e o Oriente Médio. Mas, em seguida, há um outro lado também. Acho que as redes sociais nos mantêm em constante estado de necessidade, o que eu acho muito perigoso. Porque isso gera infelicidade. Já está na hora de aproveitar as mídias sociais e ensinar aos nossos jovens que ela não tem tanto peso quanto pensamos. O que Nikki e eu esperamos fazer com o estúdio é realmente construir grandes histórias, grande conteúdo, mas sem intoxicar a cabeça das pessoas. Encontrar maneiras excelentes de exibir mensagens socialmente relevantes e impactantes dentro desse tipo de narração. É hora de começar a combater o que está acontecendo com a mídia em massa. E começar a permitir que as pessoas se sintam um pouco melhor sobre si mesmas. Estou realmente focado em criar esta próxima geração para ser a mais inovadora, compassiva e mais grata que esse mundo já viu.

Você também é um correspondente da docuseries “Years of Living Dangerously.” Por que isso é tão importante para você?

O maior desafio da humanidade é a interrupção do clima. Você querendo acreditar ou não, está acontecendo. E você vai sentir isso. Eu pessoalmente sinto que estar envolvido com “Years” tem sido a parte mais importante da minha vida profissional neste momento. Uma das razões mais surpreendentes, foi que a primeira temporada foi tão bem-sucedida e que eu sou muito grato a David Nevins e Showtime. (É que eles assumiram um grande risco). A mídia social foi um componente gigantesco desse sucesso. As pessoas que me seguem se reuniram e realmente ficaram nos bastidores do show.

Você vai fazer séries que abordam a questão do clima?

Absolutamente. Isso é algo que temos nos trabalhos agora. Estou em êxtase para explorá-lo. Meu sonho de criança era trabalhar como cientista ou em uma expedição de Nat Geo. Eu tenho que fazer isso. E eu não tenho sido o mesmo com os resultados. Eu sou tão grato que a Nat Geo nos tem agora. Este é o lugar onde eu quero colocar uma tonelada do nosso foco. Isto está muito no topo da nossa lista. Ainda há mais por vir.

“The Vampire Diaries” está terminando depois de oito temporadas. Quão difícil será dizer adeus?

Você quer que as coisas terminem em uma boa nota. Nós realmente tivemos uma corrida incrível. É só o tempo. Todas as coisas boas devem chegar ao fim. A verdadeira beleza disso é que ela realmente não chega ao fim. Há iTunes, Google play, Amazon, Netflix e Hulu. Temos essas lojas incríveis onde a mídia apenas vive. Nova audiência está dobrada. É um presente que continua nos dando.

O que você pode revelar sobre o final de “The Vampire Diaries”?

Resposta em três partes: Nenhuma f-king pista. Eu não tenho idéia. Eu liguei para Kevin Williamson e Julie Plec, [co-criadores] cinco vezes na semana passada para descobrir e entender o que está acontecendo. Eles são muito secretos sobre isso. Eu não os culpo.

O que você gostaria de ver no final?

Paul Wesley e eu falamos sobre isso o tempo todo. Damon tem 174 anos e está apaixonado por uma garota de 18 anos. É o exemplo mais inacreditável de “roubar um berço”, antes de mais nada. Em segundo lugar, esses meninos, eles vieram para esta cidade e causaram estragos, arruinaram vidas. Honestamente, eu acho que a melhor coisa para Mystic Falls seria: Esses caras e todos esses vampiros e bruxas irem embora. Deixar Elena acordar e os irmãos Salvatore terem ido e ela nunca saber de nada disso que aconteceu. Uma coisa fenomenal, irem para um lugar onde essas criaturas não ganham. Gostaríamos muito de ver os dois irmãos indo para algum lugar do Caribe sentados em uma praia bebendo algum rum de 60 anos de idade das Caraíbas, e com o sol nascendo, apenas um brinde, darem um abraço e tirar seus anéis e jogá-los no mar e deixá-los apenas “poof” – Se transformarem em cinzas. Eu criei tanta morte e tanta violência neste show que eu acho que seria uma vitória tão surpreendente para a humanidade se Damon e Stefan simplesmente saísse. Vamos esperar que isso aconteça.

Nina Dobrev estará de volta?

Eu não sei. Eu não tenho ideia. Como produtor, eu tenho um monte de informações, mas também, há um monte de informações que eu não tenho. Quero que o público seja feliz, mas também sou muito pró-humano. Esses caras tiveram a capacidade de causar estragos, matar todo mundo, arruinar a vida de muitos. Eu não acho que eles deveriam ter um final feliz. Acho que o final feliz é que, acompanhamos eles neste passeio incrível. Eles viveram o suficiente.

Confira a foto feita para o site:

5445214.jpg5445214.jpg5445214.jpg

Inicio > Photoshoots > Sessões fotográficas > 2016 > VARIETY

Fonte.

Tradução: Sâmela Marques. Não reproduza sem os créditos. Equipe ISF.

últimas fotos enviadas
Layout criado e desenvolvido por Flavi.A - Todos os direitos reservados - Host: Flaunt